Blog / News Fique por dentro das Novidades no Brasil e no Mundo

Igreja Batista da Lagoinha ganha briga por terreno na justiça

0 Comentários
712
21 Fev 2014
Igreja Batista da Lagoinha ganha briga por terreno na justiça
O imóvel onde fica o Centro de Treinamento Ministerial Diante do Trono estava sendo reivindicado por uma empresa hoteleira que alegou não ter recebido o valor total quando vendeu o espaço.

A Igreja Batista da Lagoinha ganhou na Justiça a briga pelo imóvel onde funciona o Centro de Treinamento Ministerial Diante do Trono (CTMDT), no Bairro Boa Esperança, em Santa Luzia, na Grande BH. A igreja ficará definitivamente com o espaço que estava sendo reivindicado por uma empresa hoteleira. A decisão é da 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Segundo o processo, em novembro de 2003, a igreja adquiriu 18 lotes da empresa pelo valor de R$ 910 mil. Na área, existia  um hotel. Foi acordado à época o pagamento de um sinal de R$ 230 mil, um cheque de R$ 20 mil, um veículo mais notas promissórias no valor de R$ 50 mil cada. O negócio foi reformulado por outros sete contratos, que incluíram uma imobiliária e uma administradora educacional. Ao final, o objetivo era uma permuta pela qual a igreja ficaria com o imóvel de Santa Luzia e a empresa hoteleira com os sete flats.

Entretanto, a empresa de hotelaria ajuizou ação contra a igreja e outras envolvidas no negócio alegando que não recebeu o valor integral. Sustentou que recebeu apenas o equivalente a R$ 157 mil e requereu então a anulação da escritura que transferia os lotes à igreja e o cancelamento do registro no cartório de registro imobiliário de Santa Luzia. Pediu ainda a reintegração de posse do imóvel de Santa Luzia e também indenização por danos morais e materiais.

Em março de 2012, o juiz Rogério Santos Araújo Abreu, da 3ª Vara Cível de Santa Luzia, julgou improcedentes os pedidos. Considerando não haver provas de que a empresa de hotelaria teve qualquer prejuízo com as transações, o juiz a condenou também por má-fé, arbitrando multa de 1% sobre o valor da causa em favor dos outras envolvidos no caso.

A empresa hoteleira recorreu ao TJMG, mas os desembargadores Evandro Lopes da Costa Teixeira, Eduardo Mariné da Cunha e Luciano Pinto mantiveram a sentença da primeira instância. O relator, desembargador Evandro Lopes da Costa Teixeira, sustentou que há provas no processo de que os flats foram transferidos a terceiros, a pedido da empresa hoteleira, e com a sua anuência. Ainda cabe recurso para essa decisão.

Fonte: EM.com.br
0.0
Última Modificação: -/-
Artigos Relacionados: Homem fica ferido após briga em Nova Santa Rosa. PF faz busca e apreensão na casa de Eike Batista Igrejas investem em tecnologia e atraem milhões de seguidores #BomDia - O que você vai fazer na Igreja? Novas igrejas 'evangélicas' intensificam diisputas por fiéis depois do Mega Templo de Salo Humorista finge estar possuído em culto da Igreja Universal Globo evita citar Igreja Universal e Templo de Salomão Igreja Católica em Ipanema viveu momentos de tensão neste domingo Igreja Mórmon prepa exército para evangelização na internet Justiça penhora dízimo da Igreja Mundial à Band

Ainda não há comentários...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.