Blog / News Fique por dentro das Novidades no Brasil e no Mundo

Ex-deputado do Paraná presta depoimento na Operação Lava Jato

0 Comentários
275
17 Abr 2015

O ex-deputado André Vargas (sem partido), preso na 11ª fase da Operação Lava Jato, prestou depoimento na Polícia Federal (PF) em Curitiba na noite desta quinta-feira (16), segundo informou a assessoria de imprensa da PF.

 

Além de Vargas, outras seis pessoas foram presas na 11ª fase da operação que investiga um esquema bilionário de corrupção, desvio e lavagem de dinheiro. Entre os detidos estão os também ex-deputados Luiz Argôlo (SDD-BA) e Pedro Corrêa (PP-PE), já condenado no processo do Mensação e que deve ser ouvido nesta sexta-feira (17).

 

Em sua 11ª fase, a Operação Lava Jato focou na fraude em contratos de publicidade firmados pelo Ministério da Saúde e pela Caixa Econômica Federal (CEF). As investigações apontam que uma agência de publicidade, diriga por um dos sete presos, era contratada pela Caixa e o Ministério da Saúde e fazia subcon tratações de fornecedoras de materiais publicitários que eram de fachadas e tinham como sócios André Vargas e o irmão dele, Leon Vargas, que chegou a ser presa, mas foi liberado com o fim do prazo da prisão temporária.

 

Segundo a polícia, Vargas e Argôlo prestaram depoimento simultaneamente, mas em celas separadas e eram ouvidos por delegados federais diferentes. O ex-parlamentar do Solidariedade é suspeito de receber entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões do doleiro Alberto Youssef, apontado como líder do esquema que desviava dinheiro da Petrobras. A suspeita é de emissão fraudulenta de notas e ele também é sócio de Youssef em algumas empresas de fachada.

 

Já André Vargas, citado na Lava Jato quam a operação se tornou pública, no ano passado, foi detido em sua própria casa num condomínio de alto padrão de Londrina, no norte do Paraná. O ex-petista teria usado um avião alugado por Youssef e também teria feito tráfico de influência no Ministério da Saúde a favor de uma empresa que teria ligação com o doleiro, o Labogen. O Ministério da Saúde, porém, diz que não firmou contrato com a empresa.

 

 

Já Pedro Corrêa é acusado de ter recebido valores diretamente de Youssef. A investigação descobriu também uma variação patrimonial sem cobertura, ou seja, sem renda compatível.

0.0
Última Modificação: -/-
Artigos Relacionados: Em quatro anos, Paraná recolhe 265 mil toneladas de pneus velhos Dengue: 18 municípios do Paraná estão em epidemia Dom Odilo Scherer recebe título de Cidadão Honorário e é homenageado no Paraná Chega a quase dois mil o número de casos de dengue no Paraná Em fase da Lava Jato, PF faz busca e apreensão nas casas de Cunha Paraná vai amanhecer com geadas e temperaturas negativas, diz Simepar Agentes penitenciários decretam greve geral no Paraná Secretário de Educação e Comandante da PM deixam os cargos no Paraná Deputados aprovam projeto que altera a Paranaprevidência Dívida do governo federal com o Paraná já soma R$ 1,4 bilhão
Operação Lava Jato

Ainda não há comentários...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.